O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player



COACHING EXECUTIVO: A CONQUISTA DA LIDERANÇA

COACHING EXECUTIVO: A CONQUISTA DA LIDERANÇA COACHING  EXECUTIVO: A CONQUISTA DA LIDERANÇA
    Rosa R. Krausz
    Editora: Nobel
    ISBN: 9788521313601
    IDIOMA: Português.
    ENCADERNAÇÃO: Brochura  | Formato: 16 x  23  | 208 págs. 
    ANO DA OBRA/COPYRIGHT: 2006
    ANO EDIÇÃO: 2007
   
 Sobre a autora:  Krausz, Rosa R. Rosa R. Krausz é Bacharel,  Licenciada e Mestre em   Ciências Sociais, Doutora em Saúde Pública pela  Universidade de São Paulo, Full Member da Worldwide Association of Business  Coaches, Membro Didata para as áreas Organizacional e Educacional da International  Transactional Analysis Association e da União Nacional de Analistas  Transacionais - Brasil. Consultora em desenvolvimento de talentos humanos, é  Diretora da INTELECTUS - Consultoria Empresarial, fundadora e presidente da  Associação Brasileira de Coaching Executivo e Empresarial. Atua como Coach de  Executivos, supervisora de Coaches Executivos e Empresariais além de dedicar-se  à formação de Coaches e Analistas Transacionais. Publicou inúmeros artigos em  revistas e coletâneas especializadas no Brasil e no exterior e é autora dos  livros Homens e organizações, Administre bem o seu tempo, Compartilhando o  poder nas organizações e Trabalhabilidade, todos publicados pela Editora Nobel.
   
    RESENHA
   
Este é um livro excelente para o coach que deseja  focar sua atuação no Coaching Executivo e Empresarial (CEE), também recomendo a  profissionais de RH e executivos para que possam se familiarizar com o tema e  fazerem escolhas mais conscientes e consistentes na contratação de um processo  de  coaching. As idéias são apresentadas de forma  clara e concisa, citando as fontes de pesquisa de maneira que os leitores  possam optar por pesquisá-las na fonte original, se assim quiserem. Apresenta uma vasta bibliografia sendo muito  rico em conteúdo, listagens, pesquisas, quadros comparativos, gráficos e cases  apresentados de forma muito construtiva e ilustrativa. Isso dá  credibilidade ainda maior aos argumentos apresentados.
 
A autora apresenta de  maneira ampla o CEE relativamente recente no Brasil e ainda pouco conhecido ou  pouco compreendido pelas empresas em geral, por isso nem sempre adequadamente  aproveitado. Assim,  busca desenvolver um abrangente estudo consistindo os temas relativos ao relacionamento entre o  "coach" e o cliente baseado na confiança mútua, com a finalidade de expandir e  aprimorar determinadas competências que o executivo deseja trabalhar,  demonstrando com objetividade também como essa relação e desenvolvimento são  facilitados e dificultados pelo ambiente organizacional onde o executivo está  inserido.
 
Este livro  não lhe diz como fazer coaching, aborda o processo de coaching executivo e empresarial (CEE) como  uma nova atividade profissional em construção que surge mediante um mundo  contemporâneo cada vez mais sujeito às pressões das mudanças. Que apontam para  o grande desafio atual que é desenvolver o "conhecimento para ação", o que é  essencial para aqueles que ocupam posições de liderança e dos que tomam  decisões.
 
Nesse cenário as  alternativas tradicionais de desenvolvimento de executivos têm se mostrado  inadequadas para atender as demandas atuais, em razão de seu ritmo,  padronização, formalidade e tendência à teorização. O CEE é apresentado como  uma metodologia caracterizada pela ênfase na ação e resultados, na  customização, contextualização e brevidade do processo. Desenvolve-se como  apoio para aprendizagem e desenvolvimento de competências, habilidades,  conhecimentos e comportamentos do executivo, cujos efeitos tendem a se irradiar  pela organização como um todo, provocando alterações estruturais, processuais,  socioculturais e comportamentais nas pessoas e empresas.
Destacam-se desta forma  os temas claramente  discutidos a cada capítulo:

     
  • "Coaching e suas origens" - A autora busca  criteriosamente na literatura e na sua consistente experiência uma clara  definição para o Coaching, vasculhando na história a evolução e a conceituação  do termo e seus derivados.
       
     
  • "Coaching e outras  modalidades de intervenção" – Apresenta aqui ilustrando seu texto com análises, discussões de  casos e quadros comparativos as distinções entre coaching e outras modalidades  de intervenção disponíveis como a consultoria, o mentoring, aconselhamento,  treinamento e terapia no ambiente organizacional. Distingue também o coaching  em duas grandes áreas de atuação, uma relacionada à iniciativa pessoal e outra  com a atividade profissional, essa subdividida em coaches internos e externos.  
       
     
  • "Modelos de coaching" - Neste capítulo apresenta  de maneira sucinta e clara alguns dos mais conhecidos modelos de coaching  enfatizando alguns aspectos de seus processos, buscando adequá-los a uma  demanda de um segmento de mercado ou a alguma aplicação específica. Os modelos  de coaching apresentados, são: GROW de Graham Alexander, Coaching  transformacional de Robert Hargove, Cultura de auto-desempenho e Coaching  transformacional de Thomas Crane, O jogo interior de Thimothy Gallway, o modelo  Achieve de Dembkovskki & Eldridge, o modelo de Thomas Leonard e o GPC de  Marshal Godsmith.
       
     
  • "Coaching executivo" – Aqui trata do coaching  executivo como um processo de aprendizagem conceituado como: "um processo entre um coach  executivo e um gestor que se propõe a alterar  aspectos de seu comportamento e assim elevar a sua performance profissional, a  da sua equipe e da organização para qual trabalha". Apresenta como  características do CEE: Processo customizado, formato flexível, acesso/contato just-in-time, olhos e ouvidos atentos,  disponíveis e interessados, oportunidade para reflexão, feedback constante e de  impacto, comprometimento mútuo e elevado potencial de irradiação.

"Princípios básicos e fases do processo de coaching" - Segundo Rosa Krausz, "o CEE tem se mostrado eficaz e com elevado  potencial de influência no desenvolvimento e na aprendizagem dos executivos e  gestores, e seus efeitos podem ser observados por meio de resultados alcançados  na organização". Essa eficácia só acontecerá, segundo a autora, na medida  em que forem considerados e honrados alguns princípios básicos sobre os quais  se constrói a relação coach e coachee. O principais princípios apresentados,  são: Relação contratual, comprometimento, confiança, consideração/proteção//lealdade  com o coachee/cliente,  confidencialidade,  não-condutividade/diretividade, conflito de interesses e concentração.

     
  • "A relação coach/coachee" – Aqui a autora dá ênfase  à importância da relação coach/cliente como o ponto mais vulnerável do processo  de coaching, que muitas vezes na literatura especializada é deixado de em  segundo plano. A autora  traça e analisa os estilos de relacionamento entre coach/coachee pela ótica da  Análise Transacional de Eric Berne através do conceito de Posição Existencial  que aborda os estilos de relacionamento e sintetiza a visão que cada ser humano  desenvolve a partir dos primeiros anos de vida, impactando sobre a maneira como  cada um tende a se ver, ver os outros e o mundo a sua volta, bem como as ações,  os relacionamentos, as reações e as formas como nos comunicamos e processamos os  estímulos recebidos. Traça a partir daí as posições existenciais coach/coachee  e relacionamentos resultantes, então discorre sobre como se relacionar com os  diferentes tipos de coachees apresentados.

Trata também sobre os quatro estilos  comportamentais de Crane, a partir de duas variáveis: intensidade da  assertividade e a intensidade da emotividade. Analisa como as diferentes  combinações entre elas poderão impactar o relacionamento coach/coacheee e qual  o comportamento mais adequado para o coach trabalhar com os coachees de cada um  dos estilos: Colaborativo (baixa assertividade, alta emotividade), criador  (alta assertividade, alta emotividade), condutivo (alta assertividade, baixa  emotividade) e clarificativo (baixa assertividade, baixa emotividade).

     
  • "Coaching: o papel do  coach", "Coaching: o papel do coachee", "Coaching: o papel da organização" – Nestes três capítulos a  autora descreve em cada um o papel de cada ponta do contrato de três pontas:  coach/coachee/organização mediante uma relação do estilo ganha/ganha ou da  análise transacional onde o ideal é que as partes envolvidas assumam as  responsabilidades de que cada papel e criem uma relação sinérgica.
       
     
  • "Construindo uma cultura  de coaching na organização" – A autora aqui da ênfase à cultura de coaching que é uma  expressão relativamente recente na literatura especializada, que no livro é  entendida como "um tipo de cultura  organizacional na qual predominam relacionamentos cooperativos, troca constante  de conhecimentos, experiências, informações e feedbacks relevantes para  aprendizagem e o desenvolvimento pessoal e profissional dos membros da  organização. Esses são constantemente encorajados a refletir sobre o sentido do  seu trabalho, compartilhar idéias e opiniões, analisa-las, compara-las e  assumir a responsabilidade por suas decisões tendo em vista os objetivos/necessidades  da organização, dos que nela trabalham e da sociedade na qual está inserida". Neste rico capítulo apresenta os quatro estágios progressivos de construção da  cultura de coaching, segundo Clutterbuck & Meggison (2005), cada um com suas  características específicas, são eles: Estágio nascente, estágio tático,  estágio estratégico e estágio consolidado. Destaca assim, as dez medidas para  instaurar uma cultura de coaching: relacionar a cultura de coaching com a  estratégia da empresa, conquistar aliados, tornar o coaching parte integrante  do desenvolvimento de lideranças, desenvolver uma metodologia basica de  coaching baseada em valores éticos, técnicos e humanos compatíveis,  comunicar-se claramente, adesão da cúpula, selecionar um pool de coaches  possibilitando a escolha pelos profissionais de seu coach, garantir o sigilo e  a confidencialidade do processo e selecionar com atenção os coaches que  prestarão serviços, sejam eles internos ou externos.
       
     
  • "Coaching executivo e  empresarial:  a rota da liderança eficaz" – Neste último capítulo a autora coloca as lideranças  organizacionais como foco relevante de irradiação de comportamentos, valores,  práticas, princípios entre outros que determinam a cultura organizacional e que  tem responsabilidade pelo clima organizacional, imagem institucional e  relacionamentos vigentes internos. Apresenta pesquisas que demonstram esses  conceitos e contextualizam esse pensamento no cenário empresarial contemporâneo.  Aponta para os desafios a serem enfrentados para não prejudicar o  aproveitamento ótimo da metodologia de coaching no horizonte empresarial.

Como principal lacuna no livro se  apresenta a falta de citação ou referência ao Modelo de Coaching com PNL, assim como à International Coaching Community (ICC) que não poderiam ser  deixados de lado, dado suas expressivas contribuições ao desenvolvimento  internacional de coaching, com mais de 3000 profissionais formados de maneira  estruturada com os mesmos modelos e a mesma metodologia, onde o coaching  apresenta as mesmas bases, métodos e filosofia pelos 50 países onde atua, sendo  a maior entidade de coaching em abrangência de países hoje no mundo, além de  sua atuação expressiva no Brasil.
 
O livro é bem escrito,  esquematizado e prazeroso de ser lido com títulos claros. Ele não faz  promessas ilusórias, apresenta informações realistas, baseadas em fontes  significativas de referência. Uma excelente contribuição ao processo de  expansão do coaching no meio empresarial.



Flávio Souza

Trainer Coach da Lambent do Brasil e International Coaching
Community (ICC), Consultor e Palestrante

flaviosouza@institutopublico.com.br
www.institutopublico.com.br - institutopublico.com.br
www.lambentdobrasil.com - www.internationalcoachingcommunity.com


Todos os direitos reservados ©